top of page

Queda na vacinação infantil preocupa profissionais da saúde

Com baixo número de vacinação em crianças, doenças que já tinham sido erradicadas no Brasil voltam para o alerta do Ministério da Saúde.

Sara Santos – 14/11/2022

 

Reprodução/Freepik

O mês de outubro foi marcado pelo Dia Nacional da Vacinação (17/10), e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgou dados que mostram que a taxa de vacinação infantil no Brasil vem sofrendo uma queda brusca, caindo de 93,1% para 71,49%. A pesquisa realizada em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), apresentando essa porcentagem, coloca o Brasil entre os dez países com menor cobertura vacinal do mundo.


Essa baixa cobertura deixa a população infantil exposta a doenças que não eram preocupação de saúde pública, a exemplo o sarampo, que foi erradicado em 2016, mas em 2018 voltou para a lista de doenças no Brasil. Além do sarampo, outras doenças que estão voltando são a poliomielite, a meningite, a rubéola e a difteria.


Essa queda também foi agravada pela pandemia da Covid-19, o aumento de desinformação e desafios relacionados à distribuição e disponibilidade dos imunizantes. Segundo a Biblioteca Virtual em Saúde, do Ministério da Saúde, "as recomendações das autoridades sanitárias de distanciamento social e outras medidas não farmacológicas afastaram a população das unidades de saúde para se vacinarem". Além de que há um número crescente de crianças que vivem em ambientes de conflitos e vulnerabilidade, onde o acesso à saúde básica é escasso.


A vacinação é importante para prevenir surtos de doenças e mortes de crianças e adolescentes que seriam evitáveis. Essa cobertura inadequada da vacinação já resultou em surtos de sarampo e poliomielite nos últimos 12 meses.


As organizações internacionais recomendam que os governos e demais responsáveis pela saúde da população intensifiquem os esforços para recuperar a vacinação de rotina, que eles consigam expandir os serviços de extensão em áreas carentes e conscientizem a sua população sobre a importância da vacinação infantil.


Nesse contexto, o Projeto Reconquista das Altas Coberturas Vacinais, coordenado pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, ao lado da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), vai implementar ações de apoio estratégico ao Programa Nacional de Imunização (PNI) para reverter essa queda no Calendário Nacional de Vacinação. Lembrando que as vacinas são disponibilizadas gratuitamente para a população, nos postos de saúde, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: Portal Fiocruz e Agência Brasil



14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page