top of page

Em busca do ouro inédito

Seleção feminina brasileira de vôlei se classifica na fase de grupos e segue para a segunda rodada do Mundial de Vôlei Feminino

Eduarda Carvalho - 3 de outubro de 2022

 

Seleção feminina de vôlei após a vitória contra a República Checa. Reprodução/Instagram/gabiguimaraes10

A seleção brasileira de vôlei feminino se classificou na primeira fase do Mundial de Vôlei feminino, ficando em 2° lugar no grupo D, e segue para a segunda parte do campeonato. O time comandado pelo técnico José Roberto Guimarães garantiu a sua classificação com uma sequência de 5 jogos, dos quais ganharam 4. O Brasil irá enfrentar agora a seleção da Itália em seu primeiro jogo da próxima fase. O jogo acontecerá nessa terça-feira (4/10), às 12:15, com transmissão no canal SporTV 2. Após esse confronto, a seleção enfrenta ainda os times do Porto Rico, Holanda e Bélgica.

Tabela de jogos do Brasil. Reprodução/Instagram/cbvolei

O Campeonato Mundial de Voleibol Feminino, que acontece a cada quatro anos, é a principal competição organizada pela FIVB (Federação Internacional de Voleibol). Em sua 19ª edição, o evento teve inicio em 23 de setembro e irá durar até 15 de outubro, e pela primeira vez é sediado por dois países, Holanda e Polônia.


A competição que conta com 24 equipes é dividida em três fases, onde na primeira as participantes são divididas em quatro grupos de 6 equipes, e as quatro primeiras são classificadas para a próxima parte. A segunda fase conta com dois grupos de oito equipes, e ao fim as quatros melhores de cada grupo avançam para a fase final, onde disputarão em sequência as quartas de final, semifinais, a disputa pelo bronze e a final.


O time brasileiro, que já conquistou três pratas na competição, está agora em busca do ouro inédito. Sua campanha no torneio até aqui foi satisfatória. Durante os jogos da primeira fase ganhou das seleções da Argentina, Colômbia, República Checa e China, perdendo apenas o jogo contra o Japão, assim acumulando 12 pontos no total.


Durante essa competição, o Brasil não pôde contar com a ponteira Júlia Bergmann, de 21 anos, que foi de grande importância para a seleção na Liga das Nações, devido a necessidade da atleta de concluir a faculdade. Contudo, manteve em seu elenco alguns nomes de peso, como a capitã da seleção Gabriela Guimarães, mais conhecida como Gabi, e a central Ana Carolina.


Gabi, que fez uma excelente temporada com seu time na Turquia, ganhando todas as competições de que participou, é considerada por muitos uma das melhores jogadoras do mundo, e foi nomeada como capitã por José Roberto Guimarães na Liga das Nações. Já Carol, jogadora do time Dentil Praia Clube, é considerada, por alguns, a melhor bloqueadora do mundo, sempre fazendo uma quantidade impressionantes de pontos nesse fundamento, batendo inclusive o recorde de maior bloqueadora da Liga das Nações, com 63 pontos. Carol e Gabi possuem, até agora, 35 e 87 pontos na competição, respectivamente.


A seleção brasileira conta também com novos nomes que vêm se destacando, como Kisy Nascimento, de 22 anos, com 48 pontos na competição, e Tainara Santos, também de 22 anos, que foi destaque no jogo da equipe contra a seleção chinesa, no qual entrou como titular.


"Título mundial é um título que nos persegue, que a gente sempre tá tentando buscas, sempre tentando conseguir." - José Roberto Guimarães

Renovação


Reprodução/Instagram/cbvolei

Após a conquista da medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio 2020, a seleção brasileira se despediu de alguns nomes importantes. Com a perda de Fernanda Garay, Camila Brait, e Natália Zilio, José Roberto encontrou o momento oportuno para uma renovação do time durante a Liga das Nações. "Normalmente quando acaba uma Olimpíadas começa um novo ciclo, com novas jogadoras, algumas remanescentes, como é o caso do Brasil que tem 6 remanescentes de Tóquio", afirmou o técnico na série documental "Sem bloqueio", produzida pelo SporTV.


Uma vez que esse ciclo olímpico é menor do que o comum, devido ao adiamento das Olimpíadas de 2020, a pressão sobre o sucesso dessa renovação e sobre as atletas é ainda maior, o que torna mais importante a experiência das jogadoras que estão há mais tempo na seleção, e assumem um grande papel de liderança nessa fase. Para Zé Roberto, Gabi e a oposta Rosamaria são protagonistas de uma nova geração.


Chega então a hora de trazer novos rostos para essa seleção. Além das já citadas anteriormente, Kisy Nascimento e Tainara Santos, a nova seleção conta também com Júlia Kudiess, de 19 anos, e a central Lorena, de 23 anos. O resultado a longo prazo ainda está por vir, mas por hora é notável que a renovação de José Roberto vem obtendo muito sucesso. "É uma seleção jovem, uma seleção nova, mas que é uma geração que tem muito talento. Elas sabem que elas vão ter que correr muito, suar muito, molhar muito a camisa, para que elas sejam algumas das melhores jogadoras do mundo", relata José Roberto.



20 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page