top of page

Dia do Futebol; Conheça atléticas que fortalecem a modalidade em Salvador

Vinícius Cunha e Ian Santana - 19 de julho de 2022

 

O futebol é sem dúvida a maior paixão nacional no que diz respeito ao esporte. A existência do Dia Nacional do Futebol, comemorado nesta terça-feira (19/7) é exemplo da importância da modalidade para os brasileiros. Nessa data importante para o esporte, a equipe do UNI.CJOR conversa com representantes de atléticas de Salvador que mantém times de futebol de campo.


A data foi escolhida em homenagem ao dia da fundação do Sport Club Rio Grande, do Rio Grande do Sul, time de futebol mais antigo em atividade no Brasil. A modalidade está crescendo entre os desportistas universitários e os atletas contam sobre a criação das equipes e os desafios que as cercam.


A Copa das Atléticas de Futebol, que aconteceu no dia 5 de junho, reuniu os times de futebol de campo da Atlética de Direito da UNEB XIX, da Atlética Baiana de Direito e da Atlética de Direito da UNIFTC, e marcou a estreia das equipes em uma competição da categoria.


Atlética de Direito da UNIFTC

Reprodução/Atlética Texugo

Conhecida como Texugo, a Atlética de Direito da UNIFTC formou o time de futebol de campo em março de 2022 por iniciativa do integrante Lucas Alcântara, que liderou a formação da equipe e o esquema de treinos com o apoio da diretora de esportes Andressa Sapucaia. O time ficou na terceira colocação do pódio da Copa das Atléticas, a primeira competição da modalidade na qual marcou presença.


Para Andressa, a equipe teve um primeiro passo excelente e já superou as expectativas da Texugo, diante da ansiedade e das dificuldades da primeira experiência. Segundo ela, a ambição da Texugo é o crescimento do time.


"Os meninos estão treinando e se esforçando para isso e a diretoria da Texugo tá muito orgulhosa de ver onde eles chegaram e criando mais expectativas do que ainda podem alcançar.", afirmou a diretora de esportes.

Reprodução/Atlética Texugo

Atlética de Direito da UNEB XIX

Foto: Búfalo Brabo X Direito Baiana - Reprodução/Atlética Búfalo Brabo

A Atlética de Direito da UNEB XIX, conhecida como Búfalo Brabo e sediada no campus da UNEB em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, iniciou oficialmente as atividades do seu time de futebol de campo na oficialização da Copa das Atléticas em abril, na qual também fez sua estreia. Após 2 meses de preparação para a modalidade e algumas dificuldades, a equipe conquistou o segundo lugar na competição.


A presidente Catherine Nascimento destaca que o ingresso no futebol de campo não foi fácil para a atlética. Ela afirma que a equipe foi criada com base no já existente time de futsal devido às dificuldades da Búfalo Brabo, que segundo ela, sofre com a falta de apoio por parte da instituição. A inexistência de um campo de treinamento nas dependências da instituição dificultou os preparativos para a competição, e a falta de opções de locais de treino na cidade de Camaçari também tornaram maior o desafio da equipe.


Ainda para Catherine, o fato da Copa das Atléticas ter sido realizada em um estádio da cidade-sede da Búfalo Brabo foi importante para a integração com as atléticas de Salvador e facilitou a participação da equipe na competição.


Reprodução/Atlética Búfalo Brabo

Atlética Baiana de Direito

Reprodução/Atlética Baiana

O time de futebol de campo da Atlética Baiana de Direito teve origem na atuação da Urso Rei na modalidade de Futebol Society, na qual os times são compostos por sete jogadores. A primeira vez que a atlética organizou uma equipe de futebol de campo foi um amistoso contra a seleção da OAB Bahia, em 2017. O time também teve sua estreia oficial na Copa das Atléticas, e foi o campeão da competição, levando a Atlética a ter títulos em todas as categorias.


O presidente Marcos Vinícius indica que a Atlética Baiana teve facilidade em formar uma equipe de futebol porque grande parte dos atletas integrantes já passaram por divisões de base. No entanto, devido à falta de campeonatos entre as atléticas, não existia uma rotina de treinos em campo para a modalidade antes da competição ocorrida em junho.


Durante a entrevista, Marcos destacou que a Copa das Atléticas facilitou a preparação do time, por permitir que os treinos fossem realizados no próprio estádio em que a disputa foi realizada, evitando os elevados custos de aluguel de campos de futebol, que ele acredita ser um dos principais obstáculos para o crescimento da modalidade entre as atléticas de Salvador, apesar da demanda e popularidade.


Para o presidente, o clima entre as atléticas era amistoso, em um engajamento para fortalecer o campeonato e a popularização do futebol de campo universitário, que ele vê como uma grande possibilidade para o futuro. "A gente espera que eles possam continuar e ter apoio das outras atléticas para poderem continuar formando times de futebol de campo", estimou.

88 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page