top of page

2 em 1, um técnico duas atléticas

Atualizado: 24 de abr. de 2022

Marcos Vinicius, o técnico que assumiu o dilema de treinar mais de uma atlética no mesmo campeonato.


Bruna Bitencourt - 27 de fevereiro de 2022

 

Você já imaginou o que aconteceria se dois times possuíssem o mesmo treinador? E se em algum momento esses times se enfrentam, ele acompanha um time no primeiro tempo e o outro no segundo? Qual seria o time favorito? Essa situação foge da imaginação de muitos, mas é exatamente isso que podemos encontrar na Liga Nacional.


Marcos Vinicius de Meireles Vieira, 37

anos e a 13, atua como treinador, atualmente treina os times: Manada UFBA, Carcará UFBA e Boi Bandido feminino e masculino. Em entrevista exclusiva, Marcos conta um pouco mais sobre essa situação inusitada.


Marcos contou sobre o que poderia ser considerado um pesadelo técnico, dois times treinados por ele se enfrentando em uma final de campeonato, o que fazer nessa situação?



Você já passou pela situação de ter seus times se enfrentando?

Sim, final do JUFBA 2019, Carcará x Manada. Sensação muito diferente do habitual…fiquei na arquibancada torcendo para a melhor equipe na partida. Coloquei o preparador de goleiro para acompanhar uma equipe e o preparador físico em outra.


E você como treinador, como se sentiu?

Fiquei muito orgulhoso nesse ano específico. Acredito que só o trabalho pode proporcionar esses momentos no futsal. Para colher conquistas, temos que nos doar sempre.


Como fica a ética diante dessa situação, termina havendo algum favorito na hora?

Os atletas de ambas as equipes ficaram do meu lado, esse foi o principal ponto diante dessa situação, é como eu sempre falo, faça sempre as coisas com transparência que os resultados são positivos. O favorito é quem trabalhou mais, assim a equipe fica pronta em todos os aspectos, seja físico, técnico e tático.



Me conta uma história engraçada envolvendo essa situação de treinar ambos os times.

Acredito que não engraçada… Uma saia justa no final da partida… onde os atletas da Manada, equipe campeã, veio comemorar e me abraçar no final do jogo!

Essa situação foi realmente foi complicada, comemoração de um lado e tristeza do outro.

“A rivalidade tem que existir dentro da quadra, fora, é fazer amizades. Esse é o legado do esporte.” - Marcos Vinicius
 

Liga Nacional

E a situação vivida por Marcos pode voltar a acontecer nessa Liga Nacional, seus dois times, Manada UFBA e Carcará (Medicina UFBA), estão no mesmo grupo, grupo E. Em situações opostas, a Manada luta por uma classificação em primeiro colocado, ainda invicta e atualmente em segundo lugar do grupo. A Carcará, luta para se reencontrar no campeonato após perder o seu 1º jogo e conseguir ganhar o 2º, atualmente com 3 pontos e precisando vencer e um confronto contra Manada UFBA pode ser decisivo para a Carcará.


Sobre o futuro enfrentamento entre Manada e Carcará, o treinador afirma que já está conversando com os atletas e acredita que a estratégia usada seja a mesma de 2019, se preparar e que o melhor vença.


Devido a pandemia, os treinos vêm acontecendo no mesmo prédio no bairro da Pituba, em horários diferentes, e há uma harmonia entre os membros das atléticas, se cumprimentando entre a troca de times, brincando e conversando.


E qual sua expectativa com os jogos da Liga?

As expectativas são as melhores possíveis, voltando depois desse cenário de pandemia, voltar a competir, voltar para as competições universitárias, isso me deixa muito feliz. Eu acredito que a Liga vai proporcionar muitas coisas boas, tanto para os atletas como para a comissão técnica, nos ajudando a crescer e enfrentar atléticas mais estruturadas e competitivas.



29 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page